IRRIGANTS D’EUROPE – Nova Associação Europeia da agricultura de regadio é apresentada dia 14 em Santarém

Portugal recebe a cerimónia da assinatura de constituição da IRRIGANTS d’EUROPE, a primeira associação na Europa que oficialmente tem como objetivo defender o setor da agricultura de regadio. Mais de 7,7 milhões de hectares de regadio vão estar reunidos na criação daquela que será a IRRIGANTS d’EUROPE, associação que visa a defesa e o desenvolvimento do Regadio Europeu.

As maiores Associações Gestoras de Água para Agricultura uniram-se para um melhor diálogo com as instituições europeias. Os fundadores são associações de âmbito nacional, encarregues da gestão da água nos Estados-Membros onde o regadio é mais expressivo, nomeadamente: 

- ANBI - Associazione Nazionale Consorzi di Gestione e Tutela del Territorio e Acque Irriga (Itália)
- FENACORE - Federación Nacional de las Comunidades de Regantes de España (Espanha)
- Irrigants d’France (França)
- FENAREG - Federação Nacional de Regantes de Portugal (Portugal).

No contexto do regadio europeu, importa assegurar uma estratégia conjunta orientada para o aumento de regadio e das suas comunidades, que permita uma evolução da atividade, assente na gestão sustentável e na promoção e na competitividade do setor – este é o foco a médio e longo prazo dos envolvidos na IRRIGANTS d’EUROPE.
Na sua constituição, a IRRIGANTS D’EUROPE reúne 75% da área de regadio na Europa (7,7 em 10,2 milhões de hectares de regadio), cuja maior parte é gerida pelas organizações de beneficiários associados.

Portugal tem a honra de receber o passo inaugural da IRRIGANTS D’EUROPE, uma iniciativa integrada na Feira Nacional de Agricultura, em Santarém, dia 14 de Junho de 2017, às 16 horas, na sala da Administração do CNEMA.

Na cerimónia de constituição será apresentada e entregue a “Declaração de Santarém” ao Sr. Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Dr. Luís Capoulas Santos, na presença do Eng. Eduardo Oliveira e Sousa, Presidente da CAP e anfitrião da iniciativa. Para assistir a este importante ato foram ainda convidadas as entidades e organizações portuguesas mais representativas do sector agrícola nacional. De acordo com a FAO (Organização da ONU para a Agricultura e Alimentação), a agricultura de regadio representa apenas cerca de 20% da terra cultivada a nível mundial, mas contribui para 40% da produção agrícola mundial. Sem o aumento da produtividade agrícola que o regadio permite, seriam necessários pelo menos mais 500 milhões de hectares para produzir a mesma quantidade de alimentos.