AGIR – Sistema de Avaliação da Eficiência do Uso da Água e da Energia em Aproveitamentos Hidroagrícolas

projeto AGIR – Sistema de Avaliação da Eficiência do Uso da Água e da Energia em Aproveitamentos Hidroagrícolas, coordenado pela FENAREG – Federação Nacional de Regantes de Portugal, apresenta como desígnio principal a criação de um sistema de avaliação de desempenho uniformizado que permita quantificar a eficiência do uso da água e da energia nas redes primária e secundária (i.e., de transporte e distribuição) dos Aproveitamentos Hidroagrícolas. Este sistema, constituído por um conjunto de métricas específicas, irá permitir melhorar a eficiência de uso da água e da energia e apoiar a tomada de decisão planeada e sustentada das Entidades Gestoras (EG).

O projeto AGIR é financiado pelo programa Grupos Operacionais – Operação – 1.0.1 – do PDR2020, tendo iniciado em 2017, tem a duração de 3 anos, e decorre em 3 fases.

É constituído por uma equipa multidisciplinar nomeadamente:

Coordenador:

  1. FENAREG – Federação Nacional de Regantes de Portugal.

Parceiros de I&D:

  1. LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil;
  2. UÉ – Universidade de Évora;
  3. IPS – Instituto Politécnico de Setúbal;
  4. INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária;
  5. COTR – Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio.

Entidades Gestoras de Aproveitamentos Hidroagrícolas:

  1. ABORO – Associação de Beneficiários da Obra de Rega de Odivelas;
  2. ARBVS – Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia;
  3. ABOVIGIA – Associação de Beneficiários da Obra da Vigia.

Agricultores:

  1. Sociedade Agrícola Bico da Vela II;
  2. AGRO-VALE Longo, Lda;
  3. Mencoca Agricultura, Lda.

O projeto contempla 3 casos-piloto, de dimensão, complexidade e disponibilidade de informação variadas, que dão suporte ao objetivo do AGIR:

  • Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia– sistema predominantemente com superfície livre, área beneficiada de 15.897 ha.
  • Associação de Beneficiários da Obra de Rega de Odivelas– sistema misto, área beneficiada de 12.281 ha.
  • Associação de Beneficiários da Obra da Vigia– sistema predominantemente em pressão, área beneficiada de 1.505 ha.

Estes 3 casos piloto, com diferentes sistemas hidráulicos, permitem assegurar que os resultados sejam posteriormente aplicáveis ao universo nacional, atualmente mais de 50 EG.

PLANO DE AÇÃO

O plano de ação do Projeto AGIR será desenvolvido em 3 Fases:

  • A Fase 1 (F1) inclui a caracterização preliminar e o estabelecimento da metodologia para a avaliação da eficiência do uso da água e da energia, nas redes primárias e secundárias dos AH e que permita avaliar a qualidade dos investimentos ao nível da rede terciária.
  • A Fase 2 (F2) corresponde à implementação, validação e consolidação da metodologia desenvolvida na fase anterior.
  • A Fase 3 (F3) contempla a produção de guias técnicos, ações de demonstração e a disseminação dos resultados.

Verifica-se perante as EG a necessidade de delinear objetivos, medidas e sistematizar o diagnóstico de avaliação, estas indicações viabilizam centrar um conjunto de indicadores, tais como, diagnósticos fundamentados e estruturados e soluções alternativas comparáveis de natureza diferente. Equiparar o setor urbano (projeto iPerdas), enunciando as suas orientações, métricas e o seu desenvolvimento com o regadio público e a sua Estratégia para o Regadio Público 2014-2020, esta para além de definir conceitos e bases de orientação a seguir no desenvolvimento do regadio público, identifica algumas intervenções prioritárias não se tratando, porém, de um plano de obras.

Pretende-se que a metodologia seja alargada, no futuro, a outros Aproveitamentos Hidroagrícolas. Os resultados do projeto AGIR contribuirão para a sustentabilidade destes sistemas e consequentemente, das explorações agrícolas.

No final do projeto está previsto um evento público com visibilidade nacional para apresentação dos resultados, que serão total e amplamente disseminados, designadamente através da plataforma da Rede Rural Nacional e de forma gratuita, também será disponibilizada nos websites dos parceiros.

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO

1ª FASE

  • Documentação técnica

  • Vídeo do 1º Workshop

2ª FASE

  • Documentação técnica

  • Vídeo do 2º Workshop

3ª FASE E ÚLTIMA FASE

• Documentação técnica

  • Guias Técnicos do Projeto
    • Guia Técnico de Avaliação da Eficiência do Uso da Água e da Energia em Aproveitamentos Hidroagrícolas, destina-se a todas as entidades gestoras de aproveitamentos hidroagrícolas nacionais (i.e., Associações de Beneficiários e Regantes e Juntas de Agricultores), podendo também ser aplicado internacionalmente. Este documento, contém as ferramentas que permitirão orientar os técnicos para a realização de uma avaliação sistemática e sistémica da eficiência do uso da água e da energia do sistema de abastecimento de água dos aproveitamentos hidroagrícolas.

  • Guia Técnico com Orientações sobre Práticas de Regadio na Exploração Agrícola, destina-se a todos os regantes nacionais (i.e., agricultores) e contém uma metodologia que os orientará na realização de uma avaliação qualitativa da eficiência de aplicação de água de sistemas de rega sob pressão, ao nível da rede terciária (i.e., exploração agrícola).

  • Workshop Final – Dia Nacional da Água

Enquadramento

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados – Informação Complementar

  • Vídeo dos testemunhos das Entidades Gestoras

  • Vídeo do Workshop Final

“PRÉMIO EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO”

O projeto AGIR- Avaliação da Eficiência do Uso da Água e da Energia em Aproveitamentos Hidroagrícolas foi um dos 3 finalistas do “Prémio Empreendedorismo e Inovação”, na categoria “Inovação em Consórcio – Grupos Operacionais”, atribuído pelo Crédito Agrícola.

 CONGRESSO NACIONAL DE REGA E DRENAGEM 2020

Participação do Grupo Operacional AGIR, no VIII Congresso Nacional de Rega e Drenagem, organizado pelo COTR (Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio), entre 25 e 27 de Novembro, através da plataforma Zoom.