AGIR – Sistema de Avaliação da Eficiência do Uso da Água e da Energia em Aproveitamentos Hidroagrícolas

O projeto AGIR – Sistema de Avaliação da Eficiência do Uso da Água e da Energia em Aproveitamentos Hidroagrícolas, coordenado pela FENAREG – Federação Nacional de Regantes de Portugal, apresenta como desígnio principal a criação de um sistema de avaliação de desempenho uniformizado que permita quantificar a eficiência do uso da água e da energia nas redes primária e secundária (i.e., de transporte e distribuição) dos Aproveitamentos Hidroagrícolas. Este sistema, constituído por um conjunto de métricas específicas, irá permitir melhorar a eficiência de uso da água e da energia e apoiar a tomada de decisão planeada e sustentada das Entidades Gestoras (EG).

O projeto AGIR é financiado pelo programa Grupos Operacionais – Operação – 1.0.1 – do PDR2020, tendo iniciado em 2017, tem a duração de 3 anos, e decorre em 3 fases.

É constituído por uma equipa multidisciplinar nomeadamente:

Coordenador:

  1. FENAREG – Federação Nacional de Regantes de Portugal.

Parceiros de I&D:

  1. LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil;
  2. UÉ – Universidade de Évora;
  3. IPS – Instituto Politécnico de Setúbal;
  4. INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária;
  5. COTR – Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio.

Entidades Gestoras de Aproveitamentos Hidroagrícolas:

  1. ABORO – Associação de Beneficiários da Obra de Rega de Odivelas;
  2. ARBVS – Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia;
  3. ABOVIGIA – Associação de Beneficiários da Obra da Vigia.

Agricultores:

  1. Sociedade Agrícola Bico da Vela II;
  2. AGRO-VALE Longo, Lda;
  3. Mencoca Agricultura, Lda.

O projeto contempla 3 casos-piloto, de dimensão, complexidade e disponibilidade de informação variadas, que dão suporte ao objetivo do AGIR:

  • Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia – sistema predominantemente com superfície livre, área beneficiada de 15.897 ha.
  • Associação de Beneficiários da Obra de Rega de Odivelas – sistema misto, área beneficiada de 12.281 ha.
  • Associação de Beneficiários da Obra da Vigia – sistema predominantemente em pressão, área beneficiada de 1.505 ha.

Estes 3 casos piloto, com diferentes sistemas hidráulicos, permitem assegurar que os resultados sejam posteriormente aplicáveis ao universo nacional, atualmente mais de 50 EG.

PLANO DE AÇÃO

O plano de ação do Projeto AGIR será desenvolvido em 3 Fases:

  • A Fase 1 (F1) inclui a caracterização preliminar e o estabelecimento da metodologia para a avaliação da eficiência do uso da água e da energia, nas redes primárias e secundárias dos AH e que permita avaliar a qualidade dos investimentos ao nível da rede terciária.
  • A Fase 2 (F2) corresponde à implementação, validação e consolidação da metodologia desenvolvida na fase anterior.
  • A Fase 3 (F3) contempla a produção de guias técnicos, ações de demonstração e a disseminação dos resultados.

Verifica-se perante as EG a necessidade de delinear objetivos, medidas e sistematizar o diagnóstico de avaliação, estas indicações viabilizam centrar um conjunto de indicadores, tais como, diagnósticos fundamentados e estruturados e soluções alternativas comparáveis de natureza diferente. Equiparar o setor urbano (projeto iPerdas), enunciando as suas orientações, métricas e o seu desenvolvimento com o regadio público e a sua Estratégia para o Regadio Público 2014-2020, esta para além de definir conceitos e bases de orientação a seguir no desenvolvimento do regadio público, identifica algumas intervenções prioritárias não se tratando, porém, de um plano de obras.

Pretende-se que a metodologia seja alargada, no futuro, a outros Aproveitamentos Hidroagrícolas. Os resultados do projeto AGIR contribuirão para a sustentabilidade destes sistemas e consequentemente, das explorações agrícolas.

No final do projeto está previsto um evento público com visibilidade nacional para apresentação dos resultados, que serão total e amplamente disseminados, designadamente através da plataforma da Rede Rural Nacional e de forma gratuita, também será disponibilizada nos websites dos parceiros.

Documentação Técnica resultante da Fase 1

O projeto AGIR- Avaliação da Eficiência do Uso da Água e da Energia em Aproveitamentos Hidroagrícolas foi um dos 3 finalistas do “Prémio Empreendedorismo e Inovação”, na categoria “Inovação em Consórcio- Grupos Operacionais”, atribuído pelo Crédito Agrícola.