FENAREG promove workshop sobre uso eficiente da água e da energia em regadio

Decorreu a 3 de Outubro, entre as 10h e as 17h, no salão nobre do LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil, em Lisboa, o primeiro workshop do projeto AGIR- Avaliação da Eficiência do Uso da Água e da Energia em Aproveitamentos Hidroagrícolas, com vista a apresentar os resultados preliminares da sua primeira fase de execução.

O objetivo principal do projeto AGIR é criar um sistema de avaliação de desempenho uniformizado que permita quantificar a eficiência do uso da água e da energia nas redes primária e secundária (i.e., de transporte e distribuição) dos aproveitamentos hidroagrícolas. Este sistema, constituído por um conjunto de métricas específicas, irá permitir melhorar a eficiência de uso da água e da energia e apoiar a tomada de decisão planeada e sustentada das Entidades Gestoras (e.g., Associações de Regantes).

O sistema de avaliação também integra o perfil de consumo dos agricultores, permitindo estimar o impacto que as alterações na eficiência dos sistemas primários e secundários podem ter em termos de investimentos a realizar nas explorações agrícolas ao nível da rede terciária.

«As Associações de Regantes representadas pela FENAREG estão a atuar em várias frentes para transportar a água até às explorações agrícolas com menos perdas, menos gastos de energia e menores custos. Para isso é necessário avaliar e otimizar procedimentos de gestão das redes primárias e secundárias de rega e de apoio à tomada de decisão sobre investimentos a realizar para a sustentabilidade destas infraestruturas», afirma José Nuncio, presidente da FENAREG.

O projeto AGIR é coordenado pela FENAREG e teve início em 2017, com duração de 3 anos, sendo financiado pelo PDR2020, na Operação 1.0.1 – Grupos Operacionais.

Da parte da investigação participam neste Grupo Operacional: LNEC, Universidade de Évora, Instituto Politécnico de Setúbal; Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária; Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio. Estão envolvidas 3 entidades gestoras de Aproveitamentos Hidroagrícolas: ABORO – Associação de Beneficiários da Obra de Rega de Odivelas; ARBVS – Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia e ABOVIGIA – Associação de Beneficiários da Obra da Vigia – e 3 agricultores: Sociedade Agrícola Bico da Vela II; AGRO-VALE Longo, Lda e Mencoca Agricultura, Lda.

Agir WS1 – Folheto Técnico